+55 (54) 3327-2002

Segunda à sexta das 07:30 às 12:00 e das 13:00 às 17:20

Notícias

Cenário torna trigo uma boa alternativa

Baixo custo de produção comparado ao milho e a melhoria do solo para se plantar soja, diminuindo gasto com defensivos torna o plantio de trigo uma boa opção frente ao milho safrinha


A instabilidade do mercado e os constantes problemas climáticos que afetam o milho, estão levando muitos agricultores a adotar o plantio do trigo safrinha

Foto: Divulgação

Produtores rurais de algumas regiões do Estado têm percebido que plantar trigo vale mais a pena do que o milho safrinha. Com o preço de comercialização baixo e o custo de produção alto, o milho safrinha deu prejuízo em muitas fazendas. Já no trigo, apesar de alguns problemas climáticos, apresentou bons resultados. Segundo Helio Sebold, gerente técnico da Coopavel, o milho safrinha não foi muito bom esse ano para os produtores. Nas primeiras semanas do mês de maio, o excesso de chuva afetou as lavouras do grão, na época em floração. A doença mancha foliar atacou forte boa parte das plantações. “Ali já afetou bastante a produtividade. Na safra anterior, os produtores colheram de 110 a 120 sacas por hectare. Neste ano, a média foi de 80”, explicou. Outro fator que atrapalhou os resultados foi o atraso do plantio, uma vez que o ciclo da soja se alongou. Os preços baixos também afetaram o bolso. “Quem não fez a garantia de preços perdeu dinheiro. Nós fizemos aqui a garantia por até R$ 33 para os nossos cooperados”, contou. Já para o trigo, os resultados foram melhores, exceto para quem o plantou em abril. “A chuva prejudicou quem plantou em abril, com a colheita de 30 a 40 sacas por hectare. Já quem o cultivou em maio teve um desempenho maior, com 70 sacas”. A geada também colaborou para queda de produtividade e no Sudoeste do Paraná, a estiagem danificou algumas lavouras. Helio estima que houve quebra de uns 35%, em uma média geral.

O produtor rural Fernando Mignoso, de Londrina, plantou milho safrinha e trigo. O desempenho do cereal foi bem mais vantajoso. “No milho empatamos. Já no trigo, vendemos a R$ 34 e tivemos 30 sacas por alqueire de lucro”, conta. Há 15 anos, ele mantém um sistema de produção com soja e milho verão, seguidos de trigo, milho safrinha e aveia. “Nossa decepção com o milho foi tanta que no ano que vem vamos deixar de plantar no verão pela primeira vez em 15 anos”. Além dos benefícios financeiros, Fernando disse que o trigo melhora o solo para a soja e diminui os gastos com defensivos e insumos. “Assim como todas as lavouras, temos problemas com plantas daninhas. Antes da soja, gastaríamos uns R$ 250 por alqueire para dessecá-las. No entanto, com o trigo elas não avançam tanto e esse gasto cai para R$ 50”. O produtor Fábio Sugeta tem uma fazenda em Congonhinhas. O custo dele por alqueire para plantar o milho foi de R$ 4.300. Se ele colhesse 250 sacas e comercializar a R$ 17, já sairia no prejuízo. Já no trigo, seu custo de produção foi de R$ 3.800 e, colhendo 140 sacas por alqueire, e vender a R$ 38, o lucro seria de R$ 1.520 por alqueire. Na hora das contas, a diferença prevalece.

Fonte: Revista Sindirural


Ver Mais Notícias


Endereço:


Estrada do Trigo nº 1000 - Bairro São José CEP 99050-970 - Passo Fundo - RS - Brasil


Telefone:


+55 (54) 3327-2002



Horário de Atendimento:


Segunda à sexta das 07:30 às 12:00 e das 13:00 às 17:20



E-mail:


biotrigo@biotrigo.com.br

© 2017 Biotrigo Genética. Todos os direitos reservados. Parceria Sistemas